Rua Alagoas, Nº 251, Vila Rebelo , Garça / SP (14) 9 8154.0371 joaogabrieldesiderato@dcac.adv.br
Aumentar / Diminuir Fonte

Conselhos para o jovem advogado criminalista

Olá pessoal, tudo bem?

Segue mais um artigo para leitura.

Começar um negócio, qualquer que seja ele, não é fácil e na advocacia não poderia ser diferente.

Você se forma, presta a prova da OAB (que já tem um custo elevado para quem está começando), é aprovado e desovado no mercado de trabalho para lutar, sobreviver e matar seu leão diário. 

O início de carreira do advogado - e aqui eu falo principalmente ao advogado que decidiu seguir a área criminal - é muito difícil, as faculdades de direito (pelo menos a maioria delas) não preparam o aluno para a advocacia. 

Muitas faculdades apenas preparam os alunos para concursos públicos e têm pouco conteúdo de prática jurídica da advocacia. 

Mas não é só a prática jurídica que é defasada, as faculdades não ensinam gestão de escritório em todos os seus aspectos (financeiro, organizacional, prospecção etc) e o advogado iniciante se vê perdido.

Já abordei esse assunto em dois outros artigos (aqui e aqui), mas sempre surgem novas ideias ou temas que não foram falados em artigos anteriores.

Então, ao advogado iniciante, eu digo: estude. Ué, mas eu não estudei na faculdade? Sim, você estudou na faculdade, mas somente o conteúdo teórico jurídico e algumas aulas de prática jurídica.

Advogar, ter seu escritório, é muito mais que isso. 

O iniciante deve estudar marketing, prospecção de cliente, gestão de escritório, gestão financeira, gestão de tempo e ainda se atualizar em sua área de atuação, visto que o direito é dinâmico e está em constante evolução.

É necessário gerir o tempo, porque para poder estudar todos os assuntos necessários para quem pretender ser empreendedor (e aqui eu digo que o advogado tem que ser empresário/empreendedor), gerir seu escritório como se empresa fosse.

Hoje em dia não basta ter o conhecimento técnico em direito, pois o mercado de trabalho está muito concorrido, são mais de 1 milhão de advogados no Brasil, ou seja, não adianta ficar parado, sentado em seu escritório esperando o cliente “cair do céu”.

Por isso a necessidade de estudar marketing (digital, de conteúdo etc) e elaborar uma estratégia de marketing que esteja de acordo com o estatuto da advocacia, pois o advogado, principalmente o iniciante, precisa ser visto.

Além das dicas que mencionei acima, deixo uma outra muito importante para quem pretende advogar na área criminal: seja paciente, tenha controle emocional.

Por que digo isso? Porque quase ninguém gosta de advogado criminalista. As pessoas confundem o réu com o seu defensor. Você vai ouvir muitas vezes os populares falando “quem defende bandido é bandido também”.

Além disso, você será atendido de forma ríspida em delegacias, penitenciárias, alguns outros órgãos públicos etc, porque há o entendimento de que o advogado “atrapalha” o trabalho da polícia civil/militar/federal e dos agentes penitenciários, que têm todo o trabalho de prender o cidadão e o advogado vai lá para soltar o preso.

Primeiramente, não estou generalizando. Nem todas as delegacias e penitenciárias têm um tratamento mais hostil. Há pessoas que sabem diferenciar a pessoa do preso com a pessoa do seu defensor e que também sabem da importância do advogado para a justiça, mas esteja preparado, pois em várias ocasiões você não será bem visto.

Tenha paciência, autocontrole, saiba ser firme sem ser grosseiro ou desrespeitoso e se imponha de uma forma que não seja arrogante, sempre se valendo dos seus direitos profissionais constantes no estatuto da OAB.

 

Por hoje é isso pessoal.  Espero que tenham gostado.

 

Forte abraço.

 

Escrito em 19/03/2021.

 

 

Tags: jovem advogado início de carreira advocacia criminal

Mais Artigos que podem te interessar

Assine nossa Newsletter

Receba em seu E-Mail conteúdo de Qualidade?